Dei uma volta na Campus Day – Brasília e pude conferir alguns jogos independentes produzidos por alunos de um curso superior de desenvolvimento de jogos, confira!

E aí galera, vou fazer um post rápido, sem análises dos games, apenas um momento de reflexão sobre algo que vivenciei anteontem, beleza?

Eu adoro exposição de jogos independentes, é sempre uma oportunidade para conhecer pessoas novas, conceitos, ideias, artes diferentes, jogar umas partidas de um game que você nunca viu antes… Enfim, é uma experiência diferente.

No último sábado (05/11), dei uma conferida na Campus Day, um evento de tecnologia que é uma espécie de aquecimento para a famosa Campus Party. Ao chegar lá, vi um estande de uma faculdade local que disponibilizou um espaço para que seus alunos do curso de Jogos Digitais expusessem seus games ao público.

14971229_1052007198250325_1148707128_n

Achei a iniciativa muito bacana! Claro que a faculdade não dá “ponto sem nó”, não é mesmo? Colocando os desenvolvedores lá ela mostra ao público que o curso realmente habilita o aluno a desenvolver jogos, e ganha pontos de marketing, entretanto, proporciona uma experiência muito rica aos alunos, que ganham a oportunidade de ver jogadores testando seus jogos.

Gostei bastante dos quatro jogos que foram expostos, embora um deles estivesse bem no começo, sem muita possibilidade de avaliação.

Dois jogos me chamaram atenção por pontos diferentes:

Um deles, game mobile chamado “Mathematical – Game”, misturava um space shooter com operações matemáticas. Sabe quando um jogo é educativo mas não tem cara daquelas coisas chatas que nenhum aluno quer jogar? Pois é, joguei algumas fases e nem lembrei que sou péssimo em exatas! 😆 Acho bacana quando os indies produzem games assim, que te ensinam ou treinam daquele jeito “sem querer querendo”.

O outro cheguei a jogar umas 8 ou 9 fases. É um daqueles platformers com puzzles que força o jogador a pensar em como vai utilizar o desenho da fase para avançar para o próximo nível. Embora a arte ainda não estivesse legal, a jogabilidade estava bem feita e já dava uma boa sensação de entretenimento. Acredito que pode ser um título a ser lançado no Steam futuramente, caso os desenvolvedores continuem o projeto.

14936960_1052006984917013_1812381757_n

Bem, não vou me aprofundar muito, a ideia do post não era de divulgar os jogos, mas de pontuar algumas coisas muito importantes para todo indiedev iniciante:

  1. Mão na massa! Se você está numa faculdade de jogos, não espere o professor mandar você produzir um game, faça o seu, seja o destaque, desbrave, invente, tente, erre, tente novamente, produza!
  2. Mostre para todos! Não guarde para você, só porque você acha que “não está bom o suficiente” ou “que pode fazer melhor” não é motivo para deixar o projeto em segredo ou ter vergonha. Receber feedback é importante mesmo que seja negativo, aprender com os erros é primordial, e errar durante a faculdade é o momento mais adequado para isso.

É isso aí galera, talvez uma faculdade de jogos digitais seja uma boa ideia para começar uma carreira em desenvolvimento de games. Depois vou escrever um pouco mais sobre como escolher um bom curso.

Grande abraço!


  • Gostou desse post? Clique nos botões para compartilhar com seus amigos no Facebook, Google+ ou Twitter!
  • Tem algo a falar sobre o assunto? Comente aqui embaixo!
  • Quer participar dos nossos sorteios? Clique aqui!!!