Mesmo sendo focado no cenário competitivo de jogos AAA, a Brasil Game Cup (BGC) abriu espaço para os indies na sua primeira edição no Rio de Janeiro.

É isso aí galera. O Portal Indie Game, imprensa especializada devidamente credenciada, esteve presente nesse grande evento que aconteceu na Cidade Maravilhosa entre os dias 07 e 9 de abril. Nosso parceiro, Paulo da Silva, fez a cobertura da Game Jam que rolou na BGC e também comandou um papo reto entre desenvolvedores indies que participaram de palestras por lá.

O evento:

A BGC aconteceu no Centro de Convenções SulAmérica, no Rio de Janeiro e teve muitas atrações, como campeonatos de games, corrida de drone, game jam, palestras, mostras, entre outras atividades.

Embora as atrações principais tenham sido voltadas para competições em jogos AAA, a BGC não esqueceu dos indie game developers. Teve um espaço destinado exclusivamente para uma game jam que foi oportunamente chamada de Brasil Game Jam (BGJ), além da área indie, que abrigou uma mostra de jogos indie e também deu a oportunidade de vários papos interessantes sobre a cena de games independentes.

A Brasil Game Jam:

No primeiro dia estava um pouco devagar, mas depois deu uma aquecida e o negócio engrenou mesmo! Algo bem importante para salientar é que tinham muitas equipes de fora do Rio de Janeiro, mostrando que a galera realmente se empenhou em viajar para construir seu jogo em 48h e dormir em cima das cadeiras do evento (alguns nem dormiram!).

Como uma game jam tradicional, um tema foi escolhido para servir de base para o desenvolvimento dos jogos, no caso da BGJ, o tema foi a própria cidade do Rio de Janeiro. O tempo máximo para desenvolvimento foi de 48h, que achamos ser muito recomendado para game jams presenciais e é adotado por grandes game jams como a Global Game Jam.

Confira os vencedores da BGJ:

1º Lugar –

Nome do jogo: Johnny Rio

Integrantes: Andrew, Washington, Marcos

Entrevista em áudio:

2º Lugar –

Nome do jogo: Happy New Rio

Integrantes Gustavo Baccan, Caio Evaristo e Matheus Barbieri

Entrevista em áudio:

Área Indie:

Na Área Indie, além da mostra, teve muitas palestras sobre diversos assuntos que envolvem a cena indie, como empreendedorismo indie, arte, testemunhos de casos reais, participação das empresas no mercado, entre outras coisas.

Tivemos a oportunidade de conversar com alguns desenvolvedores que fizeram parte da mostra de jogos indie da Brasil Game Cup. Eles falaram um pouco sobre o trabalho deles e sobre temas gerais que afetam a cena indie do brasil e do mundo. Confira o bate papo!

 

Resumindo:

Essa foi a primeira edição da BGC fora do evento principal, que é a Brasil Game Show (BGS), que normalmente acontece em São Paulo. Aparentemente, os organizadores quiseram fazer um teste de como seria a receptividade do evento em outra cidade importante do Brasil.

Podemos dizer que, se for um teste, foi um teste bem positivo. Pois, mesmo carregando o nome da BGC, que é só a parte de torneios da BGS, o evento foi, na verdade, uma mini BGS, porque teve bem mais atrações do que somente as competições de jogos.

Basta ver que a BGC não deixou os indies de fora, prática que vai ao encontro da tendência da BGS de abraçar os indies cada vez mais. Embora não tenha acontecido com a mesma força, a BGC conseguiu dar uma movimentada na cena indie do Rio durante os dias do evento, levando informações, networking e a game jam, que foi uma boa oportunidade de praticar.

Portanto, indies do Rio e proximidades, fiquem de olho! Não deixem de participar do próximo evento!


  • Gostou desse post? Clique nos botões para compartilhar com seus amigos no Facebook, Google+ ou Twitter!
  • Tem algo a falar sobre o assunto? Comente aqui embaixo!
  • Quer participar dos nossos sorteios? Clique aqui!!!