É, indie dev! Você juntou sua galerinha, fizeram brainstorm, esboçaram um gameplay bacana no quadro negro, produziram concepts artísticos, programaram um pequeno protótipo e daí alguém rompe o silêncio em meio à produção e solta: “Qual vai ser o nome do jogo?”

mario_block

Já ouvi gente dizer que jogo é igual redação: “primeiro a gente escreve, depois põe o título”.

Particularmente, não acho que isso seja uma regra e, na verdade, creio que é sempre válido o jogo ter no mínimo um nome temporário para que o pessoal não se refira a ele como “o jogo que o Pedrinho criou”. Só tente não se apegar muito a ele.

Bem, participei desta última Ludum Dare (edição 37) com mais dois amigos e adivinha! No calor do processo frenético da jam, onde se tem apenas 72 horas para concluir algo jogável e o mais polido possível, acabamos por decidir o nome no prazo final de entrega para a avaliação.

De início, tivemos várias ideias:

1) Loop room

2) Four corners

3) Four sides

4) Multidirectional Gravity

5) The robot in the room

6) Mecha Spin, entre outros…

Por fim, nosso programador, muito adequadamente, o batizou de Solitude Maze, que remetia de maneira acertiva e dramática para a cena de conclusão do jogo (se você ficou curioso, jogue clicando AQUI! )

Divagando sobre o assunto, me lembrei do que havia lido no livro LEVEL UP, do autor e game designer Scott Rogers.

Segundo ele, títulos, de uma forma geral, seguem 4 tipos distintos:

  • O título Literal;
  • O título de ação/legal;
  • O trocadilho divertido;
  • O título “vaca roxa” (termo bem esquisito proveniente do poema de Gelett Burgess, que uma vez escreveu: “Eu nunca vi uma vaca roxa, eu não espero ver uma. Mas eu posso lhe dizer que, de qualquer maneira, eu preferiria ver do que ser uma.”)

O título literal é bastante simples. Pode ser o nome do seu personagem principal (Sonic, the Hedgehog), pode ser a principal locação do jogo (Saint’s Row) ou até mesmo o seu principal componente de gameplay (Command and Conquer).

sonic_titlescreen

O título de ação/legal captura o espírito do jogo, sem mencionar personagens ou locações. Gears of War, Darksiders e Brutal Legends são bons exemplos.

O trocadilho divertido faz vc apreciar a inteligência do título. Just Cause, Half Life, e System Shock estão nesta categoria.  Como trocadilhos são jogos de palavras, você precisa ter cuidado, pois seu público pode não pegar a referência e nem achar seu trocadilho divertido. Humor é sempre algo muito subjetivo.

Por fim, o título vaca roxa é aquele o qual o jogador vai parar, olhar, e pensar mais uma vez. Ele obriga o leitor a se perguntar: “porque este título foi escolhido?”. E claro, para sanar esta curiosidade, ele irá precisar de jogar o game! Entre os títulos vaca roxa se incluem LittleBigPlanet, Far Cry e Resident Evil. A vantagem deste tipo é que, uma vez que você associa as palavras com seu título, é difícil para outras pessoas usarem essas palavras sem trazer a imagem do seu jogo. Vai levar um bom tempo antes de alguém pensar em usar a palavra Halo sem remeter ao grande exclusivo da Microsoft, não é? ;D

vaca-roxa

Geralmente, é recomendável batizar seu jogo com um nome curto, de no máximo 2 palavras: Donkey Kong, Pac-Man, Star Wars… São bem fáceis de se lembrar! Segundo Scott Rogers, é provável que isso tenha origem nos letreiros dos arcades, já que precisavam atrair a atenção do jogador, criar um certo mistério e descrever o gameplay. Pense em como o jogo “Defender” sintetiza perfeitamente todo o seu conteúdo em apenas 1 palavra de 3 sílabas.

E não menos importante que isso, títulos pequenos ajudam os artistas na hora de criarem logotipos que caibam na tela inicial do seu jogo.

Mas se mesmo assim, você quiser um título maior, mantenha-o simples: Uncharted: Drake’s Fortune combina algumas vacas roxas para fazer um título memorável. Os jogadores vão querer saber o que esse tal de Drake está querendo nesse lugar inexplorado (uncharted), e qual será o seu destino (fortune).

Batman: Arkham Asylum já te conta quem é o personagem e o lugar onde a aventura se passa.

batman-arkham-asylum_cover

E pra finalizar o assunto, é sempre bom dar uma pesquisadinha rápida na internet para saber se o nome do seu super game já existe. Não queremos nos apegar a um nome que já foi usado, certo?

Então boa sorte!


  • Gostou desse post? Clique nos botões para compartilhar com seus amigos no Facebook, Google+ ou Twitter!
  • Tem algo a falar sobre o assunto? Comente aqui embaixo!
  • Quer participar dos nossos sorteios? Clique aqui!!!